Consultas: (48) 3433 5158
Siga-nos:

Fraturas Vertebrais

fraturas de coluna

Sobre Fraturas Vertebrais

Fraturas de coluna podem ocorrer por uma infinidade de razões, incluindo quedas, osteoporose, acidentes traumáticos, tumores da coluna vertebral, ou infecções da coluna vertebral.

Muitas fraturas nunca irão precisar de cirurgia, mas grandes fraturas podem resultar em sérios problemas a longo prazo, a menos que tratada rapidamente e corretamente.

Fraturas da coluna variam de fraturas por compressão vertebral dolorosas, muitas vezes visto após pequenos traumas em pacientes com osteoporose, a lesões mais graves, como fraturas em explosão e fraturas-luxações, que ocorrem na sequência de acidentes de automóvel ou quedas.

Os tipos básicos de fraturas da coluna vertebral incluem: fraturas 1) compressão vertebral, 2) as fraturas vertebrais de ruptura, e 3) de fratura-luxação, que envolvem danos significativos para as articulações. Outras fraturas menores consistem em laminar, processo transverso, ou fraturas de processos espinhosos.


Sintomas

Os pacientes queixam-se de dores na coluna ao nível da fratura. Se a fratura comprime a medula espinhal ou raízes nervosas da coluna vertebral pode haver dor, dormência, hiporreflexia e fraqueza na distribuição de pele e músculo fornecida por esse nervo. Uma fratura traumática das vértebras pode causar uma lesão da espinal medula, resultando em paralisia.


Diagnóstico

Um exame neurológico detalhado pode identificar se a medula espinhal ou os nervos foram afetados. Fraturas da coluna vertebral são facilmente diagnosticada por radiografias simples da coluna vertebral, bem como tomografia computadorizada da coluna vertebral. Ressonância é muitas vezes usada para procurar por hérnia de disco associada ou sangramento.


O tratamento de fraturas da coluna

Muitas fraturas curam com tratamento conservador; no entanto fraturas graves podem exigir cirurgia para realinhar a coluna vertebral. A decisão de se tratar uma fratura vertebral baseia-se na existência de quaisquer sintomas neurológicos, como fraqueza, e se a coluna for instável. Se os fragmentos dos ossos são pressionando sobre a medula ou as raízes nervosas, a cirurgia é prontamente indicada.

Fraturas graves podem envolver várias colunas de sustentação da coluna vertebral, o que exigirá a fixação cirúrgica para recuperar a estabilidade. A fixação cirúrgica envolve tanto a instrumentação e a fusão. A fusão é a união de duas vértebras com enxerto ósseo, realizada em conjunto com a instrumentação de metal, tais como chapas, barras, ganchos, parafusos e gaiolas. O objetivo do enxerto ósseo é juntar as vértebras acima e abaixo para formar uma sólida peça de osso. Pode levar vários meses ou mais para criar uma fusão sólida. A instrumentação mantém os ossos juntos, enquanto a fusão está ocorrendo. Fumar inibe significativamente a capacidade de fundir os ossos.

Se não houver nenhum déficit neurológico ou instabilidade, a cirurgia pode não ser necessário e órtese externa simples será suficiente. Coletes funcionam para manter o alinhamento da coluna vertebral, imobilizar a coluna vertebral durante a cicatrização, e controlar a dor pela restrição do movimento. Fraturas estáveis só serão tratadas com a estabilização através de um colar cervical rígido, para as fraturas cervico-torácicas, um colete cervical-torácica (Minerva), para fraturas parte superior das costas, ou uma órtese tóraco-sacral (TLSO) para parte inferior das costas. Depois de 8 a 12 semanas o tratamento é geralmente interrompido.

Deformidade ou dor progressiva é uma indicação para a cirurgia. Cirurgiões da coluna vertebral podem, por vezes, executar um procedimento minimamente invasivo, chamado cifoplastia, para re-expandir o corpo vertebral e aumentar a sua força através da injecção de cimento ósseo. Em outros casos, a injecção de cimento sem re-expansão da fractura, chamado vertebroplastia, pode ser realizada.


Compartilhe esse artigo:

Dr. André Nesi

Neurocirurgião

Membro titular da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e especialista em Neurocirurgia pela Associação Médica Brasileira.

Dr. Carlos F. S. Moreira

Neurocirurgião

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas e Residência em Neurocirurgia pelo Hospital Cristo Redentor, Porto Alegre, RS.

Siga nossas redes

Mais informações e consultas. Entre em contato. Localização e contato

Atendimento
  • Endereço: João Cechinel, 168 . Centro Médico São José . Conj. 207 . Centro . Criciúma . SC
  • Tel.: (48) 3433 5158 / 9662 6666
  • E-mail: consultas@neurosul.com.br
  • Segunda à sexta:
    8:00 am - 12:00 pm / 13:00 am - 18:00 pm
Comentários

© 2015. «Neurosul». Todos os direitos reservados.